1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer
  • Memorando de Entendimento OTM-CS / IPAJ
  • CONSELHO CONSULTIVO DO SECRETÁRIO GERAL DA OTM-CS - ZONA CENTRO (2)
  • Exortação por Ocasião das Comemorações do 1° de Maio de 2016
  • SALÁRIOS MÍNIMOS 2015 – OTM-CS CAPACITA EQUIPAS DE NEGOCIAÇÃO
  • FÓRUM DE CONCERTAÇÃO SINDICAL (FCS)

Bem Vindo a página oficial da Organização dos Trabalhadores de Moçambique

SINDICALIZAÇÃO NA FUNÇÃO PÚBLICA IMPERATIVO NACIONAL

MANJACAZE

Maputo, 16 de Setembro de 2013 – O Secretário-geral da Organização dos Trabalhadores de Moçambique-Central Sindical (OTM-CS), Alexandre Munguambe, disse sexta-feira última, no distrito de Manjacaze, província de Gaza, que a sindicalização na Função Pública constitui um imperativo nacional, pois com uma legislação neste sector qualquer reivindicação será feita obedecendo regras.

Munguambe que falava na cerimónia de homenagem à Augusto Macamo, fundador da OTM-CS, apontou como exemplo os moldes em que foi levada a cabo a recente greve dos profissionais da saúde como sendo resultado da falta duma lei que regula a realização de greves na função pública.

“A sindicalização na função pública é um imperativo nacional. O Governo tem que aprovar a lei de regula o exercício sindical neste sector para que quando as pessoas quiserem reivindicar qualquer coisa o façam com regras e não da forma como os médicos fizeram”, sustentou Munguambe.

Este sindicalista defendeu ainda que para a realização duma greve é preciso uma análise prévia das consequências que desta possam advir, estratégia e formação, pois na sua visão a greve é o último recurso, depois de esgotadas todas as possibilidades de negociação.

“A greve não é para destruição. É preciso garantir os serviços mínimos em qualquer unidade de trabalho e garantir também que não haja sabotagem. A greve quando feita da forma como foi feita pelos médicos nunca dá resultados positivos. Primeiro a greve tem de ter apoio da sociedade civil, procurar parceiros para se solidarizarem com a causa. Em segundo lugar, é preciso ter o controlo dos grevistas, isto é, como é controlar os grevistas, quando ordenamos o início duma greve e quando mandamos parar, este elemento é fundamental” defendeu.

Munguambe foi longe ainda ao afirmar que as greves não devem ser prolongadas, pois saturam as pessoas.           E, antes de ir à greve é preciso saber quais são as entidades e individualidades que podem ajudar a resolver o problema sem precisar de recorrer à greve, porque esta começa, mas quando termina há clivagens nas empresas.

Para Munguambe é preciso analisar primeiro a possibilidade de evitar uma greve, pautando pelo diálogo e ver quem são as individualidades ou entidades que podem ajudar a reivindicar os direitos dos trabalhadores sem ter que ir à greve.

A cerimónia de homenagem à Augusto Macamo foi realizada pelo Comité Nacional do Jovem Trabalhador da OTM-CS, em forma de excursão, e contou com a participação de cerca de 500 pessoas, desde a população local e jovens provenientes do sul, centro e norte do país.

Para além da homenagem, era igualmente objectivo destes jovens buscar de Macamo a experiência sindical, mais concretamente a parte didáctica sobre liderança sindical.

GCI/AP

 

  • elektronik sigara ukash e sigara zirkonyum dis